Bandeira Negra (II)

____________________________

Número 2_Página 1

Entre 2000 e 2005 foram publicados 18 edições do boletim Bandeira Negra.

O ponto alto da organização do boletim talvez tenha sido o Seminário ocorrido em Vitória da Conquista, em Novembro de 2004, com gente de muitos lugares do estado da Bahia, decididos a discutir tanto sobre a manutenção do informativo, quanto das possibilidades da Federação Anarquista no estado.

Mas a vontade e o desejo não parecem ter sido tão fortes quanto às “forças ocultas”, e a organização de grupos e indivíduos do estado foi se fragilizando até que no segundo semestre de 2005 não se conseguiu mais produzir novos boletins.

Naquele mesmo mês de outubro de 2004 outro grande momento do boletim. A publicação de uma das melhores capas na minha opinião.

Segue o texto completo daquela capa.

*******

Viver supõe colocar-se a disposição de si mesmo, criando dia a dia a alegria de experimentar e desfrutar de tudo que é novo.

Mas quando somos pequenos e parece que desfrutamos, comendo “guloseimas” completamente cheias de deliciosas químicas, perdemos, na realidade, a ocasião de ocupar a rua correndo e descobrir um enorme mundo que nos rodeia e nos é desconhecido.

Quando vamos crescendo somos aparentemente felizes comprando produtos de marca que nos fazem parecer  “mais interessantes” para o resto das pessoas, mas perdemos a linda ocasião de ser corpos livres que desfrutam do que fazem ou sentem, em lugar de adormecer nossas mentes com a ânsia superficial e desesperada de que nos olhem ou contemplem. Quando gastamos  tempo e energia para conseguir os objetos anunciados na TV, estamos esquecendo nossa capacidade de criar, imaginar e desenvolver nossas capacidades em gozar desse tempo da nossa existência.

Quando vamos crescendo, e não descansamos até conseguir um carro fabuloso ou uma moto “incrementada”, deixamos de lado o prazer da relação com as pessoas porque agora já unicamente somos disciplinados a nos satisfazer com objetos metálicos, de fria textura e desoladora realidade.

Quando vendemos nosso futuro de liberdade, para adquirir um “apartamento de  não sei quantos metros quadrados” ou um “quarto e sala bonitinho”, é obvio que hipotecamos nosso futuro de felicidade, porque já unicamente nos dedicamos a pagar e pagar… condenando-nos ao cárcere da competitividade desumanizada.

Consumir é sinônimo de paraíso de liberdade e quanto mais gastamos e gastamos, mais adormecemos o sentido da vida e nossos sonhos se convertem em pesadelos, nossa verdade em subjetividade, nosso amor em conta corrente e nossa liberdade no pássaro  abatido pelo tiro fortuito desta triste realidade.

Aprender a viver é desfrutar do pequeno e insignificante da vida, do sentimento que transborda nossas relações, do improvisado e desvalorizado; é em definitivo estar disposto a abordar o mundo sem essa maleta de necessidades em que convertemos nossas ilusões e desejos.

Livre tradução do texto encontrado no Boletim La Racha,

Número 10, Junho de 1998,

assinado pelo Coletivo da Escola Paidéia,

Mérida, Espanha.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Década 2000, Jornalismo, Organizações

Uma resposta para “Bandeira Negra (II)

  1. jcan9

    Esta ação e experimentação anarcobaiana foi fenomenal. Através deste simples boletim/jornal/Informativo tocamos várias pessoas em vários pontos da Bahia. Chegamos mesmo a ir além destas fronteiras e nos fazer ser notados do Rio Grande do Sul até o Amazonas, da Bahia a Goiás. Reuniões itinerantes em Salvador, Feira de Santana, Alagoinhas, Cruz das Almas, onde se firmou o nome do jornal, seu formato, seu caráter autogestionário baseado na experiência do Inimigo do Rei. Bom lêr o texto acima e constatar que todos os compas ainda estão aí na luta, cada qual a sua forma. Me recinto apenas de estarmos distantes e sem vínculos mais estreitos e práticos como nosso bANDEIRA Negra.

Comente Aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s