Arquivo da tag: Eleição

Movimento Libertário de Pau da Lima (I)

___________________________

Em 1994 nascia o Movimento Libertário de Pau da Lima. Seus militantes são gente simples, estudantes ou trabalhadores, de um bairro periférico de Salvador.

Em setembro daquele ano já lançavam suas palavras para a população do bairro através do boletim Mancha Negra.

Clique na imagem e veja maior

Clique na imagem e veja maior

Deixe um comentário

Arquivado em Década 1990, Jornalismo, Organizações

Fazenda Grande Comunidade Libertária

_____________________________

Vários pequenos grupos de anarquistas surgiram na década de 1990. Alguns com vida curta. Um desses foi o Fazenda Grande Comunidade Libertária. Nasciam ou em bairros, ou a partir de afinidades. Mas todos com um objetivo comum: Fazer propaganda do anarquismo e viver em autogestão. No panfleto acima usa-se o Voto Nulo como trampolim para deixar claro as ideias libertárias.

Deixe um comentário

Arquivado em Década 1990, Organizações

Associação em Prol do Pensamento Libertário – APPL (2)

___________________________

Um ano após o surgimento da APPL, seus participantes, na faixa de 11 indivíduos, já publicavam um pequeno boletim.  Em 1994, após conversas e deliberações nas reuniões aos domingos, no pátio da Biblioteca Pública dos Barris, eles decidem montar um espaço libertário no bairro de Fazenda Grande do Retiro, tentando desenvolver um trabalho de inserção social. Mas isso é assunto para a próxima postagem. Por hoje fiquem com o texto transcrito do boletim digitalizado acima.

Não podemos esperar que a transformação social venha como mais um pacote do governo, como uma medida de choque, com a qual dormimos num país e acordamos em uma federação de grupos.

… Não dá para imaginar, não é ?

Então precisamos construir uma nova sociedade de maneira gradativa. Estamos em uma guerra, contra o Estado, na qual ainda restam várias batalhas.

Não podemos ficar pregando AÇÃO DIRETA, AUTOGESTÃO E FEDERALISMO, e esperarmos que o nosso discurso mude, por si só, esta situação em que vivemos. Temos que arregaçar as mangas e encamparmos lutas concretas pela vida, pela paz, pela redução de jornada de trabalho, pelo fim das obrigações, como serviço militar, eleições, etc.

Constatamos assim, que a AÇÃO DIRETA, a qual tanto propagandeamos, nunca será possível se não a vivenciarmos em nosso dia-a-dia.

Deixe um comentário

Arquivado em Década 1990, Organizações